Em primeiro lugar, o profissional de Educação Física possui um leque variado de possibilidades de atuação e especializações. Muito se fala sobre saúde e bem-estar, e cada vez mais essa atenção ao corpo está fazendo parte do cotidiano das pessoas.

Segundo o Ministério da saúde, no Brasil, a prática de algumas atividades física no tempo livre aumentou 25,7% (de 2009 a 2018). Esse número de adeptos tem sido principalmente por fatores como qualidade de vida, emagrecimento e indicação médica.

Além disso, o educador físico pode atuar contra uma alta taxa de obesidade, que aumentou 67,8% nos últimos 13 anos, segundo MS (2019). Como resultado, os cenários são favoráveis aos profissionais da área.

Você deve estar se perguntando, como deve ser a graduação em educação física. Licenciatura ou bacharel? Qual o melhor?

A gente te explica!

Assine o nosso blog!

Há dois tipos de graduação em educação física, o bacharelado e a licenciatura. O aluno formado em bacharel poderá atuar diretamente no mercado de trabalho, ou seja, poderá trabalhar em qualquer organização ligada à pratica de esportes.

JÁ na licenciatura, o aluno é preparado para ensinar. Ou seja, ideal para quem deseja ser um educador físico. Somente licenciados podem trabalhar na área da educação.

 O mercado é muito dinâmico, então é preciso que o educador físico acompanhe tendências, novas práticas e especializações essenciais na área.

Quer saber mais bons motivos para investir nessa carreira e se você tem o perfil ideal para este mercado?

Baixe nosso Guia de Carreira sobre Educação Física!

Gostou do conteúdo?

Venha evoluir na Ead da UniFAJ – Nota 5 no Mec!

Últimos posts por Leticia (exibir todos)